Softwares para transformar a gestão do seu negócio

Software house em cidade pequena: desafios e benefícios.

28 de janeiro de 2022 por André Traichel

Zanshin

Criar e manter uma software house em cidade pequena é uma tarefa difícil e, ao mesmo tempo, gratificante. E sabemos bem disso, a Zanshin nasceu e cresceu em Teutônia, cidade de 35 mil habitantes no interior do RS.

Neste artigo, vou contar um pouco de como foi e o que fazemos neste nosso pequeno e pacato lugar, no Vale do Taquari.

A cidade de Teutônia

Bom, inicialmente gostaria de comentar como é a cidade onde temos nossa sede. Teutônia foi colonizada por imigrantes alemães na metade do século XIX. Com isso, mesmo hoje em dia temos algumas casas e prédios públicos novos na técnica enxaimel ou imitando. Dependendo de onde fores, encontrarás pessoas mais velhas falando ainda em dialeto alemão!

Museu no centro administrativo de Teutônia

O Vale do Taquari é uma das regiões mais ricas do estado, tendo Lajeado como cidade principal. Como o nome diz, a região é cortada pelo Rio Taquari, que serviu de via de acesso de quem vinha de Porto Alegre no início da colonização.

A cidade tem como grande vantagem estar bem próxima de Porto Alegre (100km), Bento Gonçalves (40km), Caxias do Sul (100km) e Lajeado (25km), algumas das principais cidades do estado.

Os desafios

Vamos começar pelo mais difícil. Ter uma software house em cidade pequena, significa aprender a fazer muito, com pouca gente. Isto porque a oferta de pessoas que sabem programação é muito menor que em uma cidade grande.

Em cidades onde existem universidades, como Lajeado, é muito mais fácil encontrar pessoas que estudam desenvolvimento de software. Mesmo que não seja formal. Como tem mais empresas, a oferta de empregos é maior. No entanto, cidades como Teutônia tem poucas empresas de software e por consequência, poucas pessoas qualificadas ou quererem se qualificar.

Claro, hoje em dia, principalmente no mundo pós-pandemia, o trabalho remoto tende a minimizar este desafio. As leis trabalhistas também evoluíram e hoje se consegue empregar desenvolvedores de outros locais para auxiliar nos projetos.

Outro desafio tem relação à visibilidade da própria empresa. Por estar fora do de um grande centro, participar de reuniões, encontros de empresários, fóruns ou simples cafés da manhã são complicados. Nós mesmos tentamos participar de grupos como a AmCham, mas a distância e o tempo para participar das reuniões acabaram frustrando as presenças nos eventos…

Mas e os benefícios?

Bom, agora vem a parte boa. Além da questão da qualidade de vida das pessoas em geral, ter a sede aqui tem outras vantagens:

a) facilidade de ir e vir ao escritório;

b) locação ou compra de sala para a sede da empresa com um custo relativamente mais baixo;

c) dependendo da cidade, se tem uma internet de boa velocidade por um bom valor. Quando iniciamos em 2005, o acesso à internet era algo difícil de modo geral, mas no interior era pior. Ainda bem que mudou bastante;

d) se for uma cidade como a nossa, muito verde ao redor e sim, bons lugares para passear!

Além disso tudo, podemos pegar um dos desafios e transformar em algo positivo! No caso, a falta de pessoas qualificadas obriga a empresa a ser mais criativa na gestão dos seus processos. A Zanshin, por exemplo, possui uma equipe bem enxuta, mas nossos softwares tem um calendário de atualizações de dar inveja a muito concorrente com 5x mais pessoas!


Então hoje, passados mais de 17 anos da nossa fundação, acredito que cada vez mais as empresas de software podem sair dos grandes centros. O trabalho remoto pode ajudar muito na questão da mão-de-obra e quanto mais empresas migrarem, mais pessoas constatarão as oportunidades de trabalho.

Quanto a nós, pretendemos curtir essa vida interiorana sem nunca deixar de mirar o horizonte e tudo que podemos conquistar nele!